Fogo na cozinha: por que não jogar água na panela com óleo?

Todos nós sabemos que, se a panela com óleo pegar fogo, não devemos jogar água. Mas, você sabe o motivo? E por quê o óleo pega fogo? O que devemos fazer?

Todo material sólido ou líquido que tem a capacidade de pegar fogo é chamado de combustível ou inflamável. Para que isto aconteça, ele precisa ser aquecido a uma determinada temperatura. Então, ele irá se decompor e começa a liberar vapores inflamáveis, que, em contato com uma faísca ou chama, pega fogo.

Quando esquentamos o óleo, inicialmente ele cumpre direitinho com sua função: frita o alimento. Mas, se por ventura, esquecermos a panela no fogão com ele ligado, o óleo vai esquentando, esquentando, esquentando, até atingir uma temperatura tão alta, que ele pega fogo mesmo sem a presença de uma chama ou faísca. É o que chamamos de temperatura de auto ignição. O calor da panela é suficiente para iniciar o fogo.

O óleo de canola, por exemplo, tem uma temperatura de auto ignição de 330ºC mais ou menos. Quando esta temperatura é atingida, ele começa a pegar fogo sozinho.

Muita gente acha que qualquer tipo de fogo pode ser combatido com água. Mas isto é errado, principalmente no caso do óleo. E por quê não devemos usar água?

A água é mais pesada que o óleo. Logo, quando a jogamos dentro da panela, ela vai direto para o fundo. Água e óleo não se misturam. E, como todos nós já sabemos, a água ferve a partir de 100ºC. Mas, como a temperatura do óleo é de pelo menos 330ºC, a água muda de estado líquido para gasoso subitamente e evapora, espalhando vapor de óleo por toda a cozinha, aumentando o incêndio. Por este motivo não devemos usar água jamais!

E o que fazer neste caso?

A maneira ideal de extinguir este fogo é acabar com o oxigênio, elemento que dá vida a ele. Neste caso, devemos cobrir a panela com uma tampa ou pano úmido torcido. Isto será suficiente para não permitir o contato do oxigênio do ar com o fogo, e rapidamente ele será extinto. Ah, e não esqueça de desligar a boca do fogão!

No alt text provided for this image

Muito importante: se a labareda estiver alta e você não conseguir se aproximar, o melhor a fazer é tirar as pessoas de casa, desligar o gás e, se necessário, chamar os bombeiros pelo telefone 193.

Se você sofrer uma queimadura, siga as dicas deste artigo que escrevi sobre como evitar acidentes domésticos e o que fazer em caso de queimaduras!

Até a próxima!

Infarto: O que é, como identificar e o que fazer.

Ultimamente venho postando muitas informações e dicas de primeiros socorros relacionadas à emergências cardiovasculares, afinal, é o grupo de doenças que mais mata em todo mundo: 17 milhões de vítimas fatais registradas no ano de 2016.

O infarto, por exemplo, atinge cerca de 300 mil pessoas por ano aqui no Brasil, sendo que, em 30% dos casos, ele é fatal (leia mais aqui). É a principal causa de morte no pais.

Mas, afinal, o que é infarto? Como identificar? O que fazer se eu desconfiar que alguém está tendo infarto?

Antes de falar o que é infarto, devemos entender como funciona o coração humano. Este órgão, que é responsável por circular o sangue por todo o corpo humano, levando oxigênio e nutrientes a todas as células, é formado por quatro cavidades, que se contraem e relaxam cerca de 70 vezes por minuto num adulto em repouso.

Esse movimento, que chamamos tecnicamente de sístole e diástole, só é possível porque estas cavidades tem uma parede interna chamada de miocárdio. Ela é cheia de fibras musculares que recebem impulsos elétricos e, assim, proporcionam o movimento ritmado.

Para que o miocárdio consiga funcionar perfeitamente, além dos impulsos elétricos, ele precisa de oxigênio, assim como as demais células do corpo. E quem traz oxigênio a ele? O sangue! E ele chega ao coração através da artéria coronária.

Por conta de diversos fatores, como má alimentação e tabagismo, por exemplo, placas de gorduram se acumulam na artéria coronária. Com o tempo, o sangue vai tendo dificuldades de passar, e o suprimento de oxigênio para o miocárdio diminui, fazendo com que esse tecido vá necrosando, ou seja, vá morrendo, perdendo a capacidade de contrair.

Veja abaixo uma ilustração que mostra o coração e a artéria coronária entupida, o miocárdio, e a necrose do tecido devido a ausência de oxigênio proveniente do sangue:

Portanto, o infarto é a necrose do miocárdio devido o entupimento da artéria coronária.

E como saber que alguém está tendo infarto?

A pessoa que está sofrendo um infarto sente dor forte no peito, que pode irradiar para o braço esquerdo (persiste por mais de dez minutos), dor no pescoço e queixo, palidez, vertigem, suor, confusão mental e dificuldade para respirar, além de azia e vômitos em alguns casos.

Se alguém ou até mesmo você sentir estes sintomas, corra para o médico. Outra dica muito importante, recomendada tanto pelo National Safety Council quanto pela American Heart Association, é mastigar 01 comprimido de Aspirina (ácido acetilsalicílico – AAS) para adulto ou 02 comprimidos caso a dosagem dele seja para crianças. O AAS vai impedir que o coágulo aumente, já que a gordura atrai plaquetas, obstruindo rapidamente o vaso. Mas isso só deve ser feito caso a pessoa não sofra de gastrite.

Monitore e, caso a pessoa desmaie, aplique as medidas de primeiros socorros para parada cardiorrespiratória, a RCP – reanimação cardiopulmonar.

(Em maio de 2017 escrevi um artigo sobre o que leigos devem fazer ao se deparar com uma vítima de parada cardíaca. Leia mais aqui).