Proteção Radiológica – Nível de Investigação de doses

Uma das primeiras medidas protetivas a serem tomadas logo que se tenha em mente o emprego de atividade com radiação ionizante é a monitoração da exposição dos trabalhadores. Esta visa mensurar qual a dose a que o funcionário esteve exposto.

A unidade utilizada na radioproteção para medida desta exposição é chamada Sievert e mais frequentemente o milisievert (mSv = Sievert/1000).

Na radiologia é muito comum os profissionais utilizarem uma normativa do Ministério da Saúde como referência, chamada Portaria 453/98 MS. Nesta são definidos princípios muito importantes para as práticas seguras dos procedimentos, dentre eles, é definido o limite mensal de exposição em 1,5 mSv.

Em paralelo, o então Ministério do Trabalho, estabelece na Norma Regulamentadora 15 – Anexo 5 e na Norma Regulamentadora 32 que as diretrizes a serem seguidas são as existentes na Norma CNEN-NN-3.01: Diretrizes Básicas de Proteção Radiológica, de março de 2014, aprovada pela Resolução CNEN n.º 164/2014, “ou daquela que venha a substituí-la”.

Consultando a CNEN, você encontra a CNEN 3.01-004/2011 – Restrição de dose, níveis de referência ocupacionais e classificação de áreas. Na qual o limite mensal para investigação é definido em 1 mSv.

E agora? Qual devo seguir?Resultado de imagem para e agora

E se eu te dissesse que nenhum deles e os dois? Calma…

Os limites normativos são estabelecidos como níveis de referência. Claro que entre ambos você deve considerar aquele que for mais restritivo e representar maior segurança para o trabalhador, porém, nada impede a sua empresa de adotar níveis de investigação menores para que as ações possam ser tomadas antecipadamente.

Obviamente consideramos aqui a exposição na qual o trabalhador já dispõem de proteção individual em conjunto com as proteções coletivas, as quais não tratam-se apenas de medidas estruturais, mas também administrativas.

Mas, o que devo fazer na prática quando a dose do trabalhador atingir o limite de investigação?

Este papo fica para outro artigo, no qual comentaremos alguns pontos importantes a serem levados em consideração durante a investigação da dose, e disponibilizaremos um formulário que pode lhe auxiliar no momento da coleta do relato do funcionário.

Tem mais informações a acrescentar? Comente aí…


Normativa CNEN: http://appasp.cnen.gov.br/seguranca/normas/normas.asp?grupo=3

NR 32: https://enit.trabalho.gov.br/portal/images/Arquivos_SST/SST_NR/NR-32.pdf

NR15-Anexo 5: https://enit.trabalho.gov.br/portal/images/Arquivos_SST/SST_NR/NR-15-Anexo-05.pdf

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Fique por dentro das novidades

Participe e comente...

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: