O que é melhor que EPI e EPC?

Sempre tenho compartilhado conteúdo seguindo os pedidos dos colegas. Alguns pedem modelos, outros pedem ideias para que possam desenvolver seu próprio material e etc. Tenho compartilhado inclusive material de muita gente fera com as quais tenho contato diário.

Em uma conversa com um amigo, colega da nossa área, me dei conta que todos os amigos que me enviaram artigos têm uma coisa em comum, algo melhor que EPI e EPC.

Eles possuem uma ferramenta para prevenção de acidentes que fornecedor nenhum tem para lhe vender, não há valor que pague e, mesmo não possuindo CA, protege muito mais.
A comunicação!

É fato que, em termos práticos, devemos atuar prioritariamente na fonte/ambiente de trabalho, seja com intervenções físicas ou mesmo medidas administrativas para que, só então, extinguidas as opções, atuar com equipamentos de proteção. Porém, você já experimentou ouvir o colaborador?

É verdade que a chefia do departamento conhece a rotina de trabalho, mas, os detalhes da operação e com eles diversos riscos (os quais muitas vezes não são perceptíveis para que não atua diretamente na atividade) são claro apenas para quem de fato realiza o processo.

Como sempre costumo dizer, a comunicação é uma aliada muito importante. Sendo peça fundamental para tomarmos a decisão da medida de controle da maioria, se não de todos, os riscos existentes na operação.

Os livros, normas e procedimentos nos auxiliam e dão uma base sólida para entendermos, e devem ser utilizados como regra, porém, uma conversa com o trabalhador nas proximidades da máquina deixando-o lhe contar o que o atrapalha vão abrir a sua mente, possibilitando ver pelo olhar do trabalhador, dessa forma, você tem maiores possibilidades de sucesso para aplicar o conhecimento técnico.

Muitas vezes o próprio trabalhador tem uma ideia para melhoria tanto da produtividade quando da sua própria segurança e dos colegas. Em alguns casos, ele pode inclusive te contar sobre acidentes que ocorreram no passado com ele ou outro colega do departamento.

Estas são informações de ouro, às quais você só terá acesso se ganhar a confiança da equipe, e um bom caminho para isso é ouvir os envolvidos.

O profissional do SESMT que fornece informações é tido como orientador, professor, bom orador e etc. Já o profissional que, além de prestar informações, está aberto a ouvir o trabalhador, é referência na empresa. Muitas vezes é procurado para ser informado de algum risco ainda não mapeado ou não analisado por olhares diversos.

Ah! Quando for acompanhar o trabalhador, para entender melhor o processo, vê se utiliza os EPI necessários viu!

Pior que apenas equipar, é não cumprir sua própria regra.

Pense nisso! Informar e ser informado é melhor do que apenas equipar o trabalhador.
Afinal, Só EPI não basta!

 

Comente aí uma experiência legal que você teve ao ouvir os colegas da empresa.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Fique por dentro das novidades

Participe e comente...

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: